Please reload

Posts Recentes

Sessão Solene homenageia 30 anos do Cendhec

November 14, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Cendhec e Instituto Papai lançam a publicação Linhas Cruzadas

September 19, 2018

 

No dia 12 de setembro, o Centro Dom Helder Camara de Estudos e Ação Social (Cendhec) e o Instituto Papai promoveram um Encontro Lúdico, que marcou o lançamento da publicação Linhas Cruzadas - Diálogos entre Crianças, Adolescentes e Jovens por uma cidade mais justa! A atividade foi realizada no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco.

 

A publicação apresenta um mapeamento das principais demandas das crianças, adolescentes e jovens da Região Metropolitana do Recife. Com o material publicado, o Cendhec e o Instituto Papai esperam que o método seja repetido por outros grupos e que pontos destacados sirvam de base para a adoção de políticas públicas efetivas.

 

A atividade contou com a participação das arte-educadoras Fabiana Pirro e Ana Nogueira, que fizeram a apresentação da publicação de uma forma leve e animada para o público presente. Crianças e adolescentes que participaram das escutas acompanharam o lançamento.

 


SOBRE A PUBLICAÇÃO

 

O público abordado pelas escutas apresentadas na publicação Linhas Cruzadas tinha entre 04 e 24 anos de idade e falaram sobre violência, convivência familiar e comunitária, sustentabilidade, identidade de gênero, direitos sexuais, direitos reprodutivos, racismo e participação política.

 

O resultado do processo demonstrou, por um lado, uma considerável consciência das meninas e meninos em relação às problemáticas que os atingem no cotidiano, e por outro, graves lacunas em termos de políticas sociais que assegurem seus direitos. 

 

As escutas envolveram um universo de 226 crianças (entre 04 e 11 anos), 97 adolescentes (entre 12 e 17 anos) e 97 jovens (entre 18 e 24 anos) e aconteceram ao longo do ano de 2016. A metodologia aplicada para a coleta das percepções de cada grupo foi variada, considerando as especificidades etárias. Todos os garotos e garotas eram/são estudantes da rede pública de educação e moradores de áreas onde existe profunda vulnerabilidade social. 

 

O levantamento das informações sistematizadas na publicação advém de moradores/as das zonas norte e sul do Recife (priorizando-se as áreas onde se localizam as Zonas Especiais de Interesse Social), Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Olinda, Igarassu e Goiana. 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga